Páginas

domingo, 30 de agosto de 2015

Quais tem sido as suas escolhas?


Somos livres, e por isso, podemos fazer escolhas, mas é preciso saber que para cada escolha feita há uma consequência. Seja boa ou ruim. Vemos que Deus nos dá a possibilidade de vivermos uma vida próspera, colhendo aquilo que Ele reservou para a nossa vida.


Por isso, vale a pena escolher sempre andar pelos caminhos de Deus, seguindo os passos de Jesus no modo de ser, de viver e de relacionar com Deus e com o próximo. Viver deste modo é determinar nossas escolhas.
A Palavra de Deus é para todas as pessoas. Ela é dirigida à minha família, à minha casa, à igreja onde eu congrego, à minha cidade, ao meu Estado e ao meu país. O Brasil não é formado apenas pelas montanhas, rios, mares, florestas. Nele, há um povo que escreve a cada dia uma página de sua história. Há mais de quinhentos anos nossa gente constrói uma parte do nosso país. Mas tudo segundo a permissão de Deus, que sonha e tem planos para a nossa terra.


“Se dispuseres o coração e estenderes as mãos para Deus” (Jó 11.13). Note que esse texto trata de escolhas. E tudo em nossa vida está relacionado a escolhas. Quando elegemos políticos para o nosso país, os escolhemos para nos representar, e somos responsáveis por isso. Nossas escolhas podem trazer maldições, podem trazer vida, como podem trazer morte, podem nos fazer sorrir, como podem nos fazer chorar, determinam como vivemos, por isso, o Senhor começa dizendo: “Se dispuseres o coração e estenderes as mãos para Deus”.

É uma escolha, tudo depende do nosso coração, que é como se fosse o centro da nossa vida. Essa referência não é apenas sobre o órgão do corpo humano, mas coração na Bíblia fala exatamente do nosso existir, da nossa história, do nosso presente, mas também do nosso futuro. Nosso coração precisa estar voltado para o Senhor, precisa estar alinhado com os valores do Senhor, precisa estar inteiro para o Senhor: “Filho meu, dá-me o teu coração”, pede o Senhor Deus. Note que Ele não pede uma perna, um braço ou um olho, e caso pedisse um, sobraria outro, pois temos dois membros de cada um desses citados, mas Ele pede o nosso coração, que é único, e também corrupto, malévolo, conforme registrado na Bíblia: “O coração é mais enganoso que qualquer outra coisa e sua doença é incurável. Quem é capaz de compreendê-lo?” (Jr 17.9).
“Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?” (Jr 17.9).


Apesar de termos um coração corrupto, podemos fazer a Deus um pedido por um novo coração, não no sentido natural, não se trata de realizar um transplante, mas é a escolha de viver segundo os valores de Cristo. Trata-se de uma mudança de vida, mudança no caráter. “Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro de mim um espírito inabalável” (Sl 51.10).


E se fizermos um pedido genuinamente a Deus, a resposta dele é: “Darei a vocês um coração novo e porei um espírito novo em vocês; tirarei de vocês o coração de pedra e, em troca, darei um coração de carne” (Ez 36.26).


Deus é bom e tem o melhor para nossa vida, sempre. O caminho do Senhor é de bênçãos, mas a vida é feita de escolhas, se escolhermos desobedecer, escolheremos a maldição, mas se obedecermos e tivermos o temor a Deus, Ele fará transbordar em nossas vidas bênçãos sem medida. O caminho da obediência traz a bênção, já o caminho da desobediência é como um ímã que atrai a maldição. Façamos escolhas sabiamente, buscando sempre orientação no Senhor, para que a nossa sorte e a do nosso país sejam mudados, e assim, vivenciemos a realidade deste Salmo:
“Quando o Senhor restaurou a sorte de Sião, ficamos como quem sonha. Então a nossa boca se encheu de riso, e a nossa língua de júbilo; então entre as nações se dizia: Grandes coisas o Senhor tem feito por eles!” (Sl 126.1-2).
Pastor Márcio Valadão.

Pessoal, gostaria de informar que ainda não estou 100% na minha saúde, e estou correndo contra o tempo em relação as minhas obrigações da faculdade, por isso não tínhamos voltado com nossas campanhas e estou demorando em responder os e-mails, logo responderei a todos. E logo estaremos fazendo mais uma campanha abençoada, no dia 1º estarei postando como será a nossa próxima campanha.

Acompanhem o blog...

Fiquem todos com Deus!

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Não vos preocupeis com o amanhã


A Palavra meditada hoje está em São Mateus 6,33-34.
“Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão dadas por acréscimo. Portanto, não vos preocupeis com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã terá sua própria preocupação! A cada dia basta o seu mal.”
Junto com a dificuldade vem à oportunidade.
A passagem bíblica de hoje nos mostra que Deus conhece todas as nossas necessidades, por isso temos de buscar, primeiro, o Reino de Deus e tudo mais nos será dado.
É necessário buscar a justiça de Deus, não a justiça deste mundo e dos homens. Por isso, não se preocupe com o dia de amanhã, pois cada dia tem sua preocupação. A grande prevenção que devemos fazer em nossa vida é cuidar do dia de hoje para que o dia de amanhã seja tranquilo. Quando você faz bem o que lhe é necessário no dia de hoje, o amanhã será melhor ainda.
Não adianta querer adiantar certos tempos, é normal querermos apressar situações, como um luto, um problema, uma dificuldade, mas é necessário viver aquele tempo, viver, sofrer conforme o tempo.
Criamos dependência de pessoas, de situações que nos levam a acreditar que se perdermos algo ou alguém nossa vida acaba. Contudo, não é assim. Temos um Deus que está providenciando tudo, e talvez essa seja sua grande chance de viver algo novo, buscar novas oportunidades.
Quando nos vemos em uma situação em que não sabemos como seguir em frente, é o momento de nos colocarmos no rumo certo. Se não souber qual o rumo certo para sua vida, segure na mão de Deus, cuide do dia de hoje e o resto Ele providenciará. Dar apenas o próximo passo existe uma sabedoria em simplesmente dar o primeiro passo. Esse passo não resolverá tudo, mas será um começo, independente se ele é grande ou pequeno.
Se não tiver nada o que fazer, descanse, repouse nos braços de Jesus e logo você terá forças para se levantar e seguir em frente. Recomece, ainda que devagar, e Deus o ajudará.

Márcio Mendes
Missionário da Comunidade Canção Nova

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Os planos de Deus


Porque eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais.
Então me invocareis, e ireis, e orareis a mim, e eu vos ouvirei.
E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração.

É comum acharmos que nosso futuro depende EXCLUSIVAMENTE de nosso planejamento, e ficamos frustrados quando as coisas não acontecem da forma que planejamos. Todavia, é preciso entender que Deus também faz planos e, algumas vezes, os planos de Deus e os nossos não coincidem. Nesses casos, é comum Deus direcionar as coisas de modo que os planos dEle, no fim, se concretizem.
E quando isso acontece, geralmente pensamos que está tudo dando errado e não entendemos que a mão de Deus está agindo para nosso bem, apesar de não estarmos vislumbrando – aceitando, na verdade – isso de modo muito pacífico. Então, nesses momentos de angústia e decepção, o que fazer? Como devemos nos comportar diante da frustração de nossos planos? Apenas ter fé em Deus e confiar.
Apesar de nesses momentos sermos tentados a entrar em desespero por conta do fracasso de nossos planos, para quem confia no Senhor é a oportunidade de tentar enxergar o agir do Senhor em nosso favor, da mesma forma que sabemos que o Sol brilha imponente mesmo por detrás das espessas e negras nuvens da mais terrível tempestade. Sabe outra coisa interessante? Deus, às vezes, faz que nossos sonhos fracassem para o nosso bem.
Sim, Ele conhece o futuro, conhece o fim antes do começo e isso significa que, por tanto nos amar, Ele permite que passemos por situações difíceis, constrangedoras e angustiantes porque, no fim de tudo, vai resultar em nosso bem. Assim como o médico que receita remédios amargos, dietas estranhas e complicadas, tratamentos complexos e desagradáveis, Deus quer nosso bem acima de tudo.
Portanto, se você está passando por qualquer situação como as descritas, apenas mantenha a calma, respire fundo, peça graça a Deus e continue em frente. A fé, às vezes, é um salto no escuro para cair nos braços de Deus. Talvez seja isso que esteja faltando em sua vida: um passo de fé, um salto para o futuro, confiando nAquele que nos guia.
 Ao Senhor nosso Deus seja dada toda honra e glória, hoje e sempre pois só Ele é digno!!!!
Fica na paz do Senhor!
Essa mensagem recebi em meu e-mail de uma irmã de oração, Maria Angélica, quem souber seu autor, por favor, me avise para dar os devidos créditos.

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

A parábola do filho pródigo


E disse: Um certo homem tinha dois filhos;
E o mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-me a parte dos bens que me pertence. E ele repartiu por eles a fazenda.
E, poucos dias depois, o filho mais novo, ajuntando tudo, partiu para uma terra longínqua, e ali desperdiçou os seus bens, vivendo dissolutamente.
E, havendo ele gastado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a padecer necessidades.
E foi, e chegou-se a um dos cidadãos daquela terra, o qual o mandou para os seus campos, a apascentar porcos.
E desejava encher o seu estômago com as bolotas que os porcos comiam, e ninguém lhe dava nada.
E, tornando em si, disse: Quantos jornaleiros de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome!
Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti;
Já não sou digno de ser chamado teu filho; faze-me como um dos teus jornaleiros.
E, levantando-se, foi para seu pai; e, quando ainda estava longe, viu-o seu pai, e se moveu de íntima compaixão e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou.
E o filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e perante ti, e já não sou digno de ser chamado teu filho.
Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa; e vesti-lho, e ponde-lhe um anel na mão, e alparcas nos pés;
E trazei o bezerro cevado, e matai-o; e comamos, e alegremo-nos;
Porque este meu filho estava morto, e reviveu, tinha-se perdido, e foi achado. E começaram a alegrar-se.
E o seu filho mais velho estava no campo; e quando veio, e chegou perto de casa, ouviu a música e as danças.
E, chamando um dos servos, perguntou-lhe que era aquilo.
E ele lhe disse: Veio teu irmão; e teu pai matou o bezerro cevado, porque o recebeu são e salvo.
Mas ele se indignou, e não queria entrar.
E saindo o pai, instava com ele. Mas, respondendo ele, disse ao pai: Eis que te sirvo há tantos anos, sem nunca transgredir o teu mandamento, e nunca me deste um cabrito para alegrar-me com os meus amigos;
Vindo, porém, este teu filho, que desperdiçou os teus bens com as meretrizes, mataste-lhe o bezerro cevado.
E ele lhe disse: Filho, tu sempre estás comigo, e todas as minhas coisas são tuas;
Mas era justo alegrarmo-nos e folgarmos, porque este teu irmão estava morto, e reviveu; e tinha-se perdido, e achou-se.


Essa parábola me faz lembrar de mim mesma antes do meu deserto. Não fiz de propósito, mas deixei Deus de lado, me apoiei em sonhos, pessoas, fiz tudo errado, o mais importante que é o Senhor deixei de lado.
O filho pródigo era iludido com o mundo, provando das delícias da carne, acreditando que aquilo era felicidade, fiz o mesmo que ele, achava que felicidade era o meu namorado, felicidade era somente casar com ele, e eu me apoiava nesse sonho, nem ao menos orava ao Senhor para que desse tudo certo. E quando na verdade era e é uma felicidade sim, ainda não realizei o meu sonho de me casar com o meu amado, mas a felicidade mesmo verdadeira vem de Jesus. Ele é quem nos completa verdadeiramente, e nada e nem ninguém pode substituir o lugar que é só dEle. O resto é complemento...
Mas, quando o Senhor me tirou um dos que eu mais amava, que era o meu amado, fiquei sem chão, ele era as minhas pernas, meu apoio, o homem que eu escolhi para viver ao meu lado o resto da vida.
Ao meu redor não tive nenhum apoio para o meu relacionamento, pois desde que começamos a terminar e voltar, e também o fato dele nunca frequentar a minha casa faziam todos acreditar que ele não gostava de mim e não levava o nosso namoro a sério, e doía pensar que eles tinham razão, mas pelos olhos humanos eles tinham razão sim, naquele tempo ainda não entendia os propósitos de Deus, e por muitas vezes cheguei a pensar que o meu relacionamento não era agradável ao Senhor por ele não me levar a sério.
Mas, lá atrás quando um dia perguntei ao Senhor porque a minha vida sentimental não dava certo, porque eu saia de um relacionamento sozinha e chorando, Ele mostrou que havia uma maldição na minha vida, e nem mesmo quando Ele me deu essa revelação lutei pela minha libertação.
Não procurei firmar a minha vida na rocha, sempre construir tudo no terreno arenoso, dai quando vinha à tempestade tudo desmoronava. E quando melhorava de novo eu firmava novamente a minha confiança em tudo e em todos, menos no Senhor.
Ah Senhor quanto tempo perdi, quantas lágrimas foram derramadas para que eu aprendesse a depender unicamente de Ti!
Quando terminamos dessa última vez, e novamente fiquei sem chão. Das outras vezes, eu só pensava que não era a vontade de Deus e achava que de para queda ia aparecer outra pessoa, mas também nunca dava certo.
Sempre me questionava quando via os casais na rua, porque que com todo mundo dava certo, menos comigo? E quando estava no meu deserto depois de ter entendido porque eu estava lá, também questionava: “Porque as pessoas que não servem a Deus são tão felizes? Tantas perguntas, e nenhuma resposta...
Queridos, eu sentia o Espírito Santo falar comigo durante o deserto: “Agora você vai saber quem Eu sou, e vai saber quem você é!”.
Sozinha, na solidão do meu quarto passei dias chorando nos pés do Senhor, implorando pelo Seu perdão, reconheci que Ele era o meu Senhor, o quanto havia sido insensata, egoísta, desobediente e ingrata.
Segui minha própria vontade, que me levava cada vez mais para a ruína, sem que eu me desse conta disso...
Aprendi da pior forma, na dor. Mas, quando ficava pesado demais a minha dor, o Senhor me consolava, na verdade Ele sempre esteve o tempo todo ali do meu lado.
Ele me levou para o deserto pra me transformar, me moldar, e hoje sou infinitamente grata por isso, pois hoje eu sei que foi preciso.
E só lá no deserto, foi que pude ver o quanto sou pequena e dependente do Senhor, que não sou capaz nem mesmo de me levantar da cama sozinha, de beber água e qualquer coisa seja grandiosa ou pequena demais, mas tudo vem dEle, e hoje reconheço Ele em todos os meus caminhos, na verdade hoje sou eu quem ando nos caminhos dEle.
E assim fui procurando restaurar o meu relacionamento com Ele, nada foi fácil, mas foi preciso.
Essa volta do filho pródigo ao seu lar, foi a mesma volta minha para os braços de Jesus, me sentia envergonhada diante dEle, eu só pedia que Ele me desse mais uma chance, que eu ia a partir dali eu iria entregar os meus caminhos para Ele, ia obedecer, custasse o que custasse, mas eu ia deixar Ele guiar os meus caminhos...
Senhor, como o Teu silêncio doía!
Mas, eu sabia o tempo todo que o Senhor estava ali comigo, que o Senhor segurava a minha mão quando eu erguia as minhas mãos pro céu, e me fez suportar toda a humilhação que sofri, o desprezo que sofri, e me compreendia quando não achava mais ninguém que compreendesse a minha dor.
Tudo que lia a minha volta era sempre a mesma coisa, falava de confiar e esperar.
Quanto tempo de espera, e quanta dor enfrentei!
Mas, após o deserto tudo é diferente. Hoje posso dizer que sou verdadeiramente uma cristã, que apesar de meus defeitos e meus erros, a minha busca cotidiana é para ter o caráter de Cristo.
Hoje sei que sou dependente dEle para tudo, e tenho uma fé que jamais pensei que pudesse ter um dia.
Por isso tudo que passei, e pela misericórdia do Senhor foi que venci, eu gostaria de que vocês que leem agora essa mensagem, eu peço que continuem entregando os teus caminhos ao Senhor, Ele é fiel, nada é no nosso tempo, é no tempo dEle, Ele sabe a hora certa das coisas acontecerem.
Confiem no tempo e no trabalhar do Senhor, não é porque Ele está em silencio que Ele não está trabalhando, Ele é um Deus que trabalha no oculto, no silêncio.
Silêncio e circunstância não quer dizer paralisado, para o nosso Deus significa trabalhar também, mas trabalhar sem mostrar o que está fazendo. Foi assim comigo também, tudo aconteceu quando menos esperei, Deus restaurou meu relacionamento e me deu a vitória.
Deus só precisa encontrar fé no seu coração.
Entrega, confia e espera, e o mais Ele fará!

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Persistam...


Amados,
Estava refletindo sobre alguns fatos da minha vida e gostaria de compartilha-los e assim dar mais um testemunho da bondade do Senhor em minha vida.
No ano de 2012 entrei para faculdade, então começaram lutas na minha vida profissional, no momento que eu mais precisava na minha vida, em fim, nada dava certo, ou eu não gostava do meu trabalho, do ambiente, em fim, ou as pessoas não gostavam de mim. Foi um momento muito difícil para mim.
Eu fui muito perseguida e humilhada, e logo era mandada embora, ou eu não aguentava a pressão e pedia as contas. Foram tempos muito difíceis, eu queria muito manter a minha faculdade, mas sem um trabalho não teria como continuar.
Deus é tão maravilhoso que apesar de estar quase sempre desempregada, não permitiu que faltasse um só mês sem pagar a faculdade. Eu também me prevenia enquanto a isso, não fazia dividas, comprava somente o necessário, e quando saia do trabalho já guardava o dinheiro da rescisão para a faculdade, e o dinheiro dava por 2 ou 3 meses, como ficava pouco tempo nos trabalho dava pra continuar pagando até arrumar o próximo emprego. Nesse tempo ainda não dava dízimo, não tinha noção que tenho hoje da importância de fazer isso.
Bom, e assim foi indo até que entrei na empresa que estou hoje, já fazem 1 ano e 10 meses, glória a Deus.
No dia da minha entrevista, a entrevistadora disse que o cargo seria de televendas, até esse momento eu não sabia qual era a vaga e tive vontade de sair da sala nesse momento, mas me segurei, pois não suporto trabalhar com vendas, não tenho um jogo de cintura para convencer clientes de comprar, e não me identifico mesmo com essa área.
Muitas vezes, fazemos o que não gostamos pela necessidade financeira, e isso é muito difícil. Eu mesma falava com o Senhor, “Pai, passo tanto tempo no trabalho, mais que buscando a tua presença, mais do que com a minha família, mais que estudando, mais do que qualquer outra coisa, como eu posso passar tanto tempo fazendo uma coisa forçada?”, trabalhar assim é muito desanimador, só que já trabalhou com algo que detesta é que sabe.
Orei muito ao Senhor, que se fosse da vontade Dele que Ele me capacitasse para isso, e me fizesse gostar, que se Ele quisesse que eu entrasse abrisse as portas para mim e que eu sabia que Ele ia cuidar de tudo, e assim foi Ele cuidou e sempre cuidará de tudo.
Trabalhei durante 2 meses no setor de televendas, logo uma menina do setor financeiro pediu para sair, como eu era a que menos vendia, eles resolveram colocar a mim no setor financeiro, já estava lá dentro mesmo, acho que se eles pensavam que era melhor tentar me aproveitar para outra coisa, e assim foi, trabalhei durante 4 meses no setor financeiro, nos primeiros dias, estava adorando, tudo o que eu queria era sair da área de vendas, e comecei a gostar do setor novo. Mas, com apenas uns dias, a coordenadora do setor logo começou a me perseguir e a me humilhar, estava voltando a viver as mesmas coisas nos outros trabalhos, o jeito dela falar comigo sempre era áspera, e eu fazia de tudo para fazer tudo certo para não ter o que falar, e quando acontecia de errar, não tinha perdão.
Confesso que em um dos primeiros desentendimentos, eu acabei discutindo com ela (erro meu), mas me arrependi, pedi perdão ao Senhor (não tive coragem de pedir a ela), e partir dali minha postura foi totalmente diferente, mesmo quando ela me acusava de ter errado alguma coisa que tinha certeza que não tinha feito, eu ficava calada, apenas pedia desculpas e falava que ia prestar mais atenção, algumas vezes a verdade até acabava aparecendo, (Algumas vezes tinha sido ela mesma), eu nunca joguei na cara por isso.
Minha postura era sempre quieta, ainda assim, ela me soltava indireta o tempo todo, e as pessoas da sala que ficava do lado dela, me jogando indireta também algumas vezes. Ela nunca respondia ao meu “bom dia”, mas eu sempre dava. E embora, como eu falei que estava buscando mostrar serenidade, gentileza, em fim, eu nunca era tratada da mesma forma. Por diversas vezes, eu ia ao banheiro chorar, ou ficava lá por algum tempo só para o tempo passar mais rápido e ficar menos tempo naquela sala. Foi muito difícil, só Deus sabe o que eu passei.
Eu não estava suportando mais, estava fazendo planos de ir embora, eu orava pela vontade do Senhor, e pedindo sempre forças, mas para mim estava além das minhas forças, e estava para surgir outra vaga de recepcionista, pois a moça que até então era a recepcionista, pediu para sair da empresa, e já tinha ficado no lugar dela algumas vezes, quando ela precisava ir ao medico, por exemplo. E estava chegando o dia dessa moça ir embora, e eles não colocavam ninguém no lugar dela e também não me chamava para a vaga. A minha antiga gerente até me ajudou falando com os patrões de mim, para que eu ficasse nessa vaga, e eu o tempo todo em oração para que Deus desse para mim esse cargo. E faltando apenas uma semana para a antiga recepcionista sair, o patrão mandou que eu ficasse no lugar dela, onde estou até hoje, e já tem 1 ano e 3 meses que exerço o cargo de recepcionista, gloria a Deus.
Hoje, tenho em meu trabalho tudo o que eu havia pedido ao Senhor, muita paz, gosto do que eu faço, (claro que às vezes parece pessoas grossas, ou me acrescentam no trabalho que não é bom de fazer), mas, isso é um caso ou outro. Meu trabalho é perto da minha casa, pois nos antigos ficava um tempão esperando ônibus, e às vezes muito cansada, com pressa, precisando adiantar as coisas da faculdade, em fim.
Fico sozinha no meu setor, ninguém me incomoda, não tem aquela “pressão” de que se eu fizer alguma coisa errada vão me maltratar. Procuro fazer tudo sempre certo (claro), mas como sou humana e sujeita ao erro, nem tudo sai sempre certo e quando faço errado, meu patrão nunca me trata mal, ele apenas fala que errei e pra mim não fazer mais, e as vezes repito o mesmo erro e ele me fala a mesma coisa, sem nunca se alterar ou me fazer me sentir ‘diminuída’.
Porém, em fevereiro desse ano, as coisas no setor financeiro ficaram sobrecarregadas, e meu patrão mandou que eu fizesse alguns trabalhos do financeiro, mas que eu continuasse na recepção, nossa pra mim foi um choque, pensei comigo “vou viver tudo de novo!”, a essa altura ela estava até bem comigo, me pedia até favores, e eu fazia tudo o que podia como se eu fizesse para qualquer outra pessoa, e já estávamos até bem, ela até conversava sobre outros assuntos comigo.
Mas, ainda assim para mim foi terrível saber disso, pois eu sofri demais naquela época, e eu falei com o meu chefe para que não me desse os trabalhos do financeiro, que me desse outra coisa, de outro setor, mas ele disse que eu faria e pronto. Pensei em desistir de tudo, pedir pra sair, até ‘estourei’, disse que não ia fazer de jeito nenhum, tanto eu como ela, e meu gerente foram falar com meu chefe, sem sucesso.
Orei muito ao Senhor, e Ele falava comigo que era para mim permanecer. E mesmo forçada fiz o trabalho. Nossa ia para casa chorando, chegava em casa chorava, eu estava frustrada, com medo de viver tudo de novo.
Mas, mesmo forçada fiz o trabalho. A moça que não gostava de mim, já estava com paciência de me ensinar, até me fazia elogios, que eu estava fazendo tudo certo, e no começo como tive muitos afazeres ela até me ajudou a fazer.
Mês passado, contrataram alguns jovens aprendizes, e um deles entrou para o setor financeiro, e então a coordenadora colocou meus trabalhos para ela fazer. Ensinei a moça, e ela já está fazendo tudo sozinha.
Graças ao Senhor permaneci, mesmo com tantas coisas que passei, e hoje está tudo bem. Estou prestes a me formar, e tudo está em seu lugar.
Gostaria de dizer que às vezes, passamos por momentos de tribulação, e às vezes quando achamos que tudo voltou ao seu normal às coisas pioram de novo. Eu quero te falar, confia no Senhor, não importa quantas vezes você caiu, quantas vezes os seus sonhos se frustraram, Ele está sempre no controle de tudo!
A situação vivida pode doer, pode ferir, pode nos desesperar, mas devemos fazer a vontade do Senhor.
Muitas vezes eu pensei em fugir, em sair daquela situação, se eu tivesse feito isso, mais uma vez voltaria a ficar desempregada, quem sabe até teria que trancar minha faculdade e agora que está tão perto de acabar.
Amados, a porta estreita, às vezes nos aperta, nos oprime, nos machuca, mas na saída dela a gente vê o grande agir de Deus, podemos olhar para traz e ver que Ele cuidou de tudo, que apesar de tanta dor, Ele nos fez suportar, e podemos sair desse deserto mais íntimos do Senhor, mais sábios, mais agradecidos, em fim, a tribulação é uma grande escola.
Se hoje estou num trabalho que eu gosto, livre de toda pressão que sofri é porque não desistir. Deus queria mudar aquela situação, mas Ele não ia dar as coisas de ‘mãos beijadas’, era preciso lutar, perseverar...
Por isso eu digo a vocês, não se desvie da porta estreita, procurando atalhos para fugir da dor. Deus sabe a cruz que podemos carregar. E sabe que o porquê de tantas coisas darem errado, se você pensou que o deserto já havia acabado e novamente alguma coisa não está dando certo, ou até mesmo você já passou tanto tempo clamando e nada aconteceu continua entregando ao Senhor as suas aflições, Ele vai terminar de fazer o que Ele começou e vai te responder, caso Ele tenha ficado em silêncio até agora.
Deus é fiel, infinitamente sábio e poderoso. Por isso não tenham medo, Ele sempre tem o controle de tudo!
Pensem nisso!
Obrigado Senhor, Tu és bom, misericordioso, que a glória e a honra sejam dadas somente a Ti.

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Sobre o divórcio, parte II


e) Aguardando a Palavra Final. Se você está no deserto, aguarde pacientemente e com fé o dia da grande vitória. Ele virá quando menos você esperar. A única palavra que Deus tem para sua vida como resultado final da batalha é de vitória. Não há outra. Por isso, não se espante com as coisas difíceis que acontecerão. Ver o cônjuge com outra pessoa pode ser muito difícil, mas essa ainda não é a resposta de Deus. Se teu marido ou tua esposa pedir o divórcio, também essa não será a resposta. Deus reverte documentos, decisões, em um simples toque. Se também teu cônjuge, após divorciado, quiser se casar novamente com outra pessoa (adultério), creia que Deus ainda não manifestou a Sua decisão final. Deixe o outro fazer o que quiser. Não se preocupe com as atitudes dele. Apenas viva os seus dias de deserto agradando a Deus, cuidando de si próprio (a) e aguardando a palavra final do Seu Criador. De uma coisa temos que ter absoluta certeza: divórcio não agrada o Espírito de Deus. Jesus disse: “Não separe o homem a quilo que Deus uniu” (Mateus 19:6); assim como também ordenou Paulo na Primeira Carta aos Coríntios: “Todavia aos casados, mando, não eu mas o Senhor, que a mulher não se separe do marido (...)” (1 Coríntios 7:10). A ordem de Deus é uma só: não se separem! Não precisaríamos de nenhum outro versículo nem fundamentação teológica para compreendermos uma orientação tão clara aos nossos olhos. 

A família unida, abençoada e alicerçada é a menina dos olhos do Senhor, assim como também é o alvo primeiro do diabo para destrui-la. Quem se separa não faz a vontade de Deus, mas do diabo. Ai dos que fazem a vontade do inimigo das nossas famílias! Portanto, não mexam, não toquem, não tentem destruir a família que Deus formou e abençoou. A Lei do Divórcio foi o maior intento criado por satanás para executar o extermínio dos lares. Precisamos unirmos para combatê-lo! Não olhe para as circunstâncias: confie em Deus Às vezes encontro-me fazendo essa mesma pergunta que Moisés fez a Deus (que está em Êxodo 3:10-11): “Senhor, quem sou eu para enviar a Tua Palavra às pessoas sofridas com a destruição dos seus casamentos?” E vejo que Deus, em sua infinita misericórdia, sempre levanta alguém para falar aos Seus filhos; orientá-los de como devem proceder diante das batalhas espirituais que surgem na caminhada. Para conquistar a bênção era necessário antes atravessar um longo deserto a pé. Essa travessia era para durar, segundo as previsões normais, apenas 11 dias. Outras pessoas já tinham feito a mesma trajetória anteriormente nesse intervalo curto de tempo. 

O povo de Israel não era o primeiro a pisar naquele chão desértico. Então Deus preparou todas as provisões necessárias para o cenário: abriu o mar, fez água sair da rocha, enviou o maná do céu, além de estar diariamente como uma coluna de nuvem e de fogo. Porque Ele nunca desampara um filho seu. Deus queria apenas que o Seu povo confiasse nEle, deixasse tudo em Suas mãos. Mas a travessia durou 40 anos. Muitas foram as desobediências. Dentre várias, o povo voltou seus olhos para as circunstâncias adversas. Vendo tudo negro ao redor, chegou a sentir saudade da época em que era escravo nas mãos dos faraós no Egito. Que ingratidão! Quantos de nós enfrentamos desertos parecidos com aquele que o povo de Israel teve de atravessar e temos as mesmas atitudes que ele? Vejo Deus claramente dizendo aos seus filhos: “não olhem para as circunstâncias. Apenas creiam em mim e esperem quão grandes coisas farei por vocês!” Mas, por mais que Deus peça, por mais que Deus fale, mais as pessoas insistem em desobedecê- Lo. Vejo claramente isso durante o processo de restauração de muitos casamentos. Deus tem me incomodado, pedido para os seus filhos esquecerem os problemas, confiarem exclusivamente nEle. No mundo espiritual, as coisas funcionam exatamente assim: quanto mais a pessoa ora, jejua e se consagra a Deus, mais, aos seus olhos humanos, as adversidades se levantam. E quanto mais elas se levantam, mais Deus está trabalhando ao seu favor. O que ocorre é exatamente o seguinte: as pessoas querem enxergar o que se passa no âmbito espiritual com os olhos naturais. Elas sentem a necessidade de sustentarem melhor a fé se verem o que de fato está acontecendo. São “Tomés” dessa geração. Quanto mais santidade ao Senhor, mais tribulação, luta e perseguições sobrevêm. O melhor é que o resultado de tudo isso se transforma em vitória. Porém, se nenhuma aflição sobrevém na vida do cristão é porque algo há de errado. 

Vejamos algumas circunstâncias negativas quando se está no deserto pela restauração familiar: 

1) O cônjuge aparece mais agressivo ou mais distante. 

2) As notícias sobre ele são as piores possíveis. 

3) As humilhações se multiplicam na vida daqueles que estão nessa batalha. 

4) A família e os amigos passam a criticar injustamente, pedindo, inclusive, para você desistir. 

5) Você ouve dele ou dela que realmente não o(a) ama mais e que possivelmente vai procurar o caminho do divórcio. 

6) Outros problemas de ordem de saúde, profissional, financeira, surgem. 

7) Dá uma sensação de desânimo, de incerteza, de abatimento espiritual. Observe se você tem ou não vivenciado algumas dessas circunstâncias. Jesus disse: “no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo: eu venci o mundo” (João 16:33). A questão não são as circunstâncias em si, mas o fato de você sempre viver olhando para elas. Não olhe para os lados: mire-se em Jesus Cristo. “Olhando firmemente para Jesus, autor e consumidor da nossa fé(...)” (Hebreus 12:2). Quando a pessoa, de fato, volta-se para o que está acontecendo, logo tende a se desanimar, a ficar com vontade de desistir e começam as murmurações. 

Preste bem atenção a alguns discursos de uma pessoa que só olha para as circunstâncias, em um aconselhamento: 

1) “Pastor, mas eu fiz isso no passado, fiz aquilo...”; 

2) “ela disse que não me ama mais...” 

3) “ele deu entrada ao pedido de divórcio, acho que vou desistir...” 

4) “Pastor, ele tatuou o nome da outra no ombro. Estou desesperada...” 

5) “eu ofereci carona para levá-la ao trabalho e ela não quis, me agradeceu e foi embora...” 

6) “fico pensando a noite toda onde ele deve estar, se abraçado com ela; penso também nas festas de fim de ano quando iremos passar separados...” 

7) “entreguei minha causa ao Senhor, confio nele, mas não consigo dormir direito pensando no problema, no meu marido, se ele realmente vai voltar para mim...” Essas são palavras de quem ainda está preso ou presa aos problemas, de quem demonstra claramente que ainda não entregou completamente a causa aos cuidados do Senhor. Quem olha para as circunstâncias geralmente tem depressão, angústia, medo, insegurança, incerteza; não consegue dormir bem porque tem pesadelos. É como o povo no deserto que reclamava de fome, de sede, do chão quente, da temperatura, de tudo. 

Agora, observe o discurso de quem, de fato, está descansado em Deus: 

1) “Pastor, oro todos os dias e jejuo. Sei que Deus está agindo em meu favor...”; 

2) “Embora as coisas pareçam adversas, continuo crendo no meu Deus Todo Poderoso...” 

3) “Breve, estarei de posse da vitória porque Deus é fiel...” 

4) “Continuo a viver, a trabalhar, a produzir, a fazer meus cursos. Esqueci-me completamente do problema. Só me lembro do meu cônjuge quando oro por ele...” 

5) “Depois que entreguei tudo ao meu Deus, tudo na minha vida mudou. Não me abato mais espiritualmente nem com as notícias ruins que correm por aí. Hoje eu creio que Deus está no controle de tudo” 

6) “Hoje voltei a sorrir, o que eu não fazia há muito tempo. Até me perguntaram como consigo ser feliz em meio a tantas lutas...” 

7) “Parei de murmurar. Minha vida hoje é só gratidão a Deus. Já vejo os primeiros sinais de colheita das bênçãos que Deus tem para minha vida...” Uma pessoa com essa motivação alcança a vitória primeiro em relação às outras, porque se esforçou por obedecer e deixar Deus trabalhar na vida dela. Aliás, a palavra “esforça-te” aparece uma dezena de vezes na Sagrada Escritura como uma ordem direta de Deus para o seu povo: “Esforça-te e tem bom ânimo(...)” (Josué 1:9); “Somente esforça-te para que não comas o sangue (...)” (Deuteronômio 12:23); “E chamou Moisés a Josué e lhe disse aos olhos de todo o Israel: esforça-te e anima-te..” (Deuteronômio 31:7); “Esforça-te, pois, e esforcemo-nos pelo nosso povo e pelas cidades do nosso Deus...” (2 Samuel 10:12). Esforçar-se, no contexto da restauração familiar, é não fitar os olhos nas circunstâncias adversas; é confiar mais em Deus; é se esquecer do problema, provando que a causa realmente foi entregue ao Senhor dos Exércitos em sua totalidade. Conscientize-se de que tudo o que enxergava de ruim antes era proveniente do mal para desestabilizá-la (o) emocional e espiritualmente. Antes, vivia abatida(o) e se entregava à tristeza. Hoje mais não. E como a luta contra as potestades e principados só é vencida através do jejum, da oração e do Poder de Deus, a pessoa decidiu colocar-se na posição, adorar o Santo Nome de Deus e agradecê-LO de todo o seu coração pelos cuidados. Todas as vezes que o diabo tentar atingi-la (o) através do seu cônjuge (calúnias e humilhações) não encontrará guarida, pois as portas estarão trancadas com ferrolho santo e intransponível. É dessa forma que todo cristão, que está passando pela prova, deve se comportar, se quiser ser aprovado. Claro que haverá dias em que a pessoa vai estar desanimada, meio para baixo, sem vontade de muita coisa. Mas não será algo frequente, rotineiro. “Pois sete vezes cairá o justo e se levantará, mas os ímpios são derrubados pela calamidade” (Provérbios 24:16). O desânimo pode até aparecer, “o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem logo ao amanhecer” (Salmos 30:5). 

Minha oração é que, a partir de hoje, Deus renove as suas forças e coloque em seus lábios um cântico novo, um cântico de louvor e de gratidão de quem sabe enfrentar as maiores tempestades da vida sem reclamar; que Nosso Senhor e Salvador ponha em teu coração uma sabedoria e um entendimento que causem confusão na mente dos ímpios e façam os teus olhos apenas brilharem para Ele: 

“Cantai ao Senhor um cântico novo; porque Ele faz maravilhas; a sua destra e o seu braço lhe dão a vitória” (Salmos 98:1).

Do livro "Destrua o divórcio antes que ele destrua o seu casamento". Do Pr. Fernando César.

domingo, 16 de agosto de 2015

Sobre o divórcio, parte I




Se a separação ou, quem sabe, o divórcio já bateu à porta da sua vida, se um grande deserto se agigantou à sua frente de uma hora para outra, é momento de enfrentar uma grande batalha espiritual. Embora muitas denominações evangélicas não preguem com fervor e outras a façam de forma muito discreta, a restauração da família é mais que possível. Deus tem interesse de que seu lar seja reconstituído. E como Ele quer executar tal intento, a concretização é apenas uma questão de tempo. Viver um período crendo nesse milagre, muitas vezes sem o apoio de absolutamente ninguém, é atravessar um longo deserto. Nessa caminhada, há muitas lágrimas, desespero, abatimento espiritual, mas também é a oportunidade única de experimentar de perto, quase que intimamente, as provisões e o grande agir das mãos do Senhor Deus. Quem está nesse deserto, pode tornar a travessia mais curta ou muito distante. Tudo dependerá de como o marido ou a esposa se comportará. Há algumas coisas que precisam ser esclarecidas e acrescentadas à sua fé:

a) Deus fará. O agir de Deus é certo. Para quem ora e clama pelo bem da família, o Pai protege e abençoa. Para quem se deserdou, o Senhor endurece o coração e o entrega sob o deleite dos demônios. A permissão de Deus é tamanha que Ele pode colocar o rebelde à beira da morte. Como Pai e Soberano, Deus sabe como agir na vida de cada um. O interesse dEle é que a família seja refeita, independentemente de como fará. Mas Ele fará. Deus nunca deixou de cumprir nenhum dos seus planos, especialmente na área familiar. A família é a menina dos seus olhos.
Basta que apenas um ore, clame, peça a Ele isso. Deus é fiel em seus propósitos e atende a oração do justo.
“Pois o Senhor dos Exércitos o determinou, e quem o invalidará?
A sua mão está estendida, e quem a fará voltar atrás?” (Isaías
14:27);
“Há acaso alguma coisa demasiadamente difícil para o Senhor?”
(Gênesis 18:14);
“Pois para Deus nada é impossível” (Lucas 1:37).

b) A condição espiritual do deserdado. Todo aquele que abandona o lar, independentemente de qual tenha sido o motivo, passa a viver em opressão espiritual. Embora não demonstre e até mesmo apresente um aparente bem-estar, a sua condição espiritual é de perturbação. É uma pessoa que tenta demonstrar ao outro e a si mesmo que está bem. Ela sofrerá a opressão dos demônios, que passarão a dominar as suas atitudes, especialmente quando o seu cônjuge mais se consagrar a Deus. A guerra espiritual está formada. Quanto mais santidade e obediência de um, mais opressão demônica no outro. Muitas pessoas me procuram para afirmar que, durante o processo de consagração e santidade, foram muito afrontadas pelo
cônjuge. Elas não entendiam porque isso acontecia. Pensavam até que estavam a fazer tudo errado. Eu passo a explicar a grande batalha espiritual que se estabeleceu entre o povo de Israel e os soldados de Faraó pouco antes da Travessia do Mar Vermelho. A Bíblia relata alguns pontos interessantes:

1) Deus preferiu que o povo seguisse um caminho mais difícil:
“(...) Deus não os levou pelo caminho da terra dos filisteus, que estava mais perto (...)” (Êxodo 13:17).

2) Deus endurece o coração do inimigo para perseguir o seu povo:
“Porque o Senhor endureceu o coração de Faraó, rei do Egito, para que perseguisse os filhos de Israel (...)” (Êxodo 14:8).

3) Deus permite que o inimigo cresça para depois abatêlo:
“Não temais; estai quietos e vede o livramento do Senhor que hoje vos fará (...). O Senhor pelejará por vós, e vos calareis. (...)
Assim o Senhor salvou Israel naquele dia da mão dos egípcios; e Israel viu os egípcios mortos na praia do mar” (Êxodo 14:13-14 e;

c) Como se comportar no deserto para a vitória vir mais depressa. Fé, oração, jejum, santidade ao Senhor são atitudes indispensáveis para quem deseja ter o lar restaurado. Além destas, outras também devem se fazer presentes no seu dia-a-dia. 1) Não murmurar; 2) Não olhar para as circunstâncias adversas que se levantam; 3) Esquecer o outro e a situação. Quando esquecemos o cônjuge rebelde, provamos que de fato o entregamos a Deus.
Esquecê-lo, nesse caso, é não ficar pensando o tempo todo nem na pessoa nem no problema. Quem verdadeiramente obtém vitória nesse aspecto não se comporta mais com a ansiedade, o elemento que atrapalha o trabalhar do Senhor.

d) Vivenciando o agir de Deus. Quem está no deserto também é moldado e transformado, em seu caráter, pelo Pai. A pessoa passa a fazer certas coisas que antes tinha muita dificuldade como, por exemplo: perdoar.
No meu deserto particular, aprendi a ser dizimista, algo que antes tinha muita dificuldade. Deus também vai retirando as impurezas e tudo aquilo que está em nós e não O agrada. Mas, além disso, a presença de Deus se faz viva nas revelações e nas provisões. Esse, sem dúvida, foi o período mais edificante pelo qual já passei. Certo dia, para confirmar que estava comigo na restauração do meu casamento, Deus usou um pastor que nunca tinha me visto, em um culto dominical, em meio a muita gente, para revelar-lhe a data exata que eu me casara e a situação em que me encontrava. Em outra ocasião, após derramar muitas lágrimas de joelhos, fui impulsionado a ligar o TV em um canal evangélico. A primeira imagem que me apareceu foi a de um pastor ao vivo em um culto em Minas Gerais dirigindo a palavra direta para minha vida: “você que nesse momento ora pela restauração do seu casamento, levanta-te e pare de murmurar”. Também recebi a provisão de Deus na área financeira. Em todos os instantes,
Deus provou estar bem perto a mim, embora muitas vezes eu insistisse em chorar e querer desistir.

Do livro "Destrua o divórcio antes que ele destrua seu casamento", do Pr. Fernando César.

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Parábola do juiz iníquo


Então Jesus contou aos seus discípulos uma parábola, para mostrar-lhes que eles deviam orar sempre e nunca desanimar. Ele disse: "Em certa cidade havia um juiz que não temia a Deus nem se importava com os homens. E havia naquela cidade uma viúva que se dirigia continuamente a ele, suplicando-lhe: 'Faze-me justiça contra o meu adversário'. "Por algum tempo ele se recusou. Mas finalmente disse a si mesmo: 'Embora eu não tema a Deus e nem me importe com os homens, esta viúva está me aborrecendo; vou fazer-lhe justiça para que ela não venha mais me importunar' ". E o Senhor continuou: "Ouçam o que diz o juiz injusto. Acaso Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a ele dia e noite? Continuará fazendo-os esperar? Eu digo a vocês: Ele lhes fará justiça e depressa. Contudo, quando o Filho do homem vier, encontrará fé na terra?" 
Lucas 18:1-8

Que exemplo lindo de persistência que Jesus nos dá através dessa parábola.
Fico imaginando quanto tempo essa viúva persistiu com um juiz que nem temente a Deus era. Imagino quanto desespero, quanta dor, quantas lágrimas...
Mas, só por ser persistente obteve vitória, do contrário esse juiz jamais concederia seu pedido.
E Jesus completa fazendo uma comparação aos que clamam pela justiça do Senhor “Não fará Deus justiça aos seus escolhidos que lhe clamam dia e noite, embora pareça demorado em defendê-los?”.
Pois, irmãos, se um juiz que cedeu o pedido daquela viúva, um homem, que não tem compaixão com o próximo, um homem que não se atenta aos mandamentos do Senhor, quanto mais a Deus que nos ama, que é misericordioso, e que pode todas as coisas!!
Queridos, quando buscamos a sua justiça e a sua vontade, nada do que fazemos será em vão, mesmo que as coisas continuem do mesmo jeito, ou esteja pior, mesmo que o Senhor esteja em silêncio, mesmo que todos a sua volta não acredite na tua vitória!!
Confia irmão, entrega, espera. Vai na contramão do mundo, o mundo não entende o sobrenatural de Deus, o mundo não entende que os humilhados serão exaltados, o mundo não entende o que Deus tem pra sua vida, o modo dEle trabalhar!!!
Não confia no que os teus olhos humanos veem, enxerga a tua benção pela fé, Canaã é logo ali. O Senhor já se levantou a teu favor, Ele já tá providenciando a tua vitória!
Continua orando, jejuando, vai valer a pena!!
Tenha o espirito de persistência dessa viúva, continua clamando aos Santos dos Santos.
O véu do templo foi rompido, você acesso direto ao trono do Altíssimo. Continua levando à Ele as tuas aflições, continua clamando por sua misericórdia. Ele te ama, Ele tem o melhor pra te dar. Não desiste da tua benção, não pare agora.
Se a sua situação é difícil, se você não consegui ver a saída, o Senhor é muito maior do que isso que você tem passado, enquanto você está prostrado diante dEle, Ele recolhe as tuas lágrimas em seu odre, Ele te consola, Ele te perdoa, Ele move o mundo por tua causa.
A viúva conseguiu a justiça de um homem em que não existia bondade, e você está persistindo com o Rei dos Reis, o Senhor dos exércitos.
Não olha o tamanho do teu problema, olha o tamanho do teu Deus!!!
O martelo do nosso Juiz vai bater, a sentença da nossa justiça será decretada, a vitória Ele te dará, pois Ele é a nossa esperança.
Pensem nisso!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...