Páginas

terça-feira, 19 de setembro de 2017

7° dia – O fundo do poço



E levantaram a Jonas e o lançaram ao mar. 1.15
Já passou por alguma situação em sua vida na qual você disse: “cheguei ao fundo do poço?” Essa expressão é usada quando a pessoa acredita que não há como ser pior, pois está sendo acometida por tudo que há de ruim.
Você atentou para a trajetória de Jonas após fugir da presença de Deus? Jonas desceu para Jope; embarcou no navio e desceu para o porão; lançado pelos tripulantes, desceu para o fundo do mar e engolido por um peixe, desceu para o ventre dele. FOI UMA TRAJETÓRIA DE QUEDA. Fugir do Senhor pode levá-lo ao fundo do poço.
Saul foi o primeiro rei de Israel. Foi ungido e cheio do Espírito. Entretanto, em determinado momento do seu reinado, afastou-se de Deus entrando em desobediência e rebeldia. Foi repreendido pelo profeta Samuel, mas não se arrependeu. Cada vez mais longe do Senhor, Saul foi consultar uma médium espírita, algo que era terminantemente proibido em Israel. Chegou ao fundo do poço e de lá nunca saiu. Terminou sua vida cometendo suicídio, quando batalhava contra o exército inimigo.
Elias foi um profeta que marcou profundamente a sua geração, numa época em que a nação oscilava entre cultuar o Senhor e também a Baal. Desafiou os profetas do falso ídolo no Monte Carmelo declarando que o Deus verdadeiro se revelaria enviando fogo do céu em resposta ao clamor de seus seguidores. O profeta foi instrumento divino para revelar a todos que apenas o Senhor era Deus. Como resultado, os sacerdotes de Baal foram mortos. Foi uma experiência e tanto! 1 Rs 18.16-40.
Jezabel, esposa do rei, aquela que mantinha os profetas de Baal debaixo de sua proteção, ameaçou Elias, dizendo que haveria de matá-lo. Então ele foge e pede ao Senhor para tirar-lhe a vida; não queria mais viver. Depois de receber comida trazida por um anjo, caminhou 40 dias e foi parar no fundo de uma caverna. Como alguém que teve uma experiência tão maravilhosa pode chegar ao fundo do poço logo em seguida? Mas o profeta ouviu a voz divina. Seu ministério não havia terminado. Ele ainda pôde ser instrumento de Deus.
Pedro foi um dos discípulos mais ativos de Jesus. Andou ao lado dEle por tanto tempo, vivenciando experiências e revelações incríveis e maravilhosas. Chegou a declarar-Lhe que estava disposto a morrer por Ele, Mt 22.31-33. Entretanto, negou o Senhor quando sua fé foi questionada e chorou amargamente. Também teve o seu fundo do poço. Mas assim como Elias, Pedro ouviu a voz do Altíssimo, foi restaurado por Jesus e se tornou um dos principais líderes da igreja primitiva.
Jonas foi para o fundo do poço. Sua atitude definiu o seu destino. No ventre do peixe clamou a Deus. Sua oração foi ouvida e seu ministério restaurado. Você está no fundo do poço? Deus quer restaurar você.


(Extraído do livro 14 dias de intimidade com Deus, Pr Magid Saab,  publicado no site da Igreja Batista Central de Belo Horizonte).

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

6° dia – Influência positiva ou negativa



Pois eu sei que é por minha causa que esta violenta tempestade caiu sobre vocês. 1.12
No seu íntimo, Jonas sabia que tudo o que estava acontecendo com o navio era por sua causa. Toda a turbulência e um provável naufrágio ocorriam porque ele fugia de Deus. Já tinha parado para pensar que a sua presença influencia o ambiente no qual você vive e se relaciona?
Diante do iminente cumprimento da ira de Deus, Abraão intercedeu pedindo que o Senhor não destruísse Sodoma. Todo seu clamor foi fundamentado na presença de justos naquela cidade, Gn 18.22-33. A presença de um justo tem uma forte influência no ambiente onde ele se encontra e, conforme Abraão orou, deveria ser sempre uma influência positiva, marcada por preservação e proteção e não destruição.
Jesus afirma que Ele é a luz do mundo e quem O segue não anda em trevas, pelo contrário, terá a luz da vida, Jo 8.12. E no sermão da montanha, revela que nós somos a luz do mundo. E ao enfatizar a importância de sermos luz, o Mestre declara que ninguém acende uma candeia para colocá-la debaixo de uma vasilha e sim em local apropriado, para iluminar a todos os que estão em casa. A nossa influência no meio em que vivemos deve ser sempre positiva, colocando luz e eliminando toda treva. A luz prevalece sobre as trevas, Jo 1.5.
Muitos, lamentando-se, dizem: “Apenas eu conheço a Jesus em minha família”; como se isso fosse algo ruim. Nunca fale assim. Glória a Deus por você ser o único que crê. Antes só havia trevas, agora a luz começou a brilhar. Maior é o que está em você do que o que está no mundo, 1 Jo 4.4.  Nunca diga: “o inimigo está agindo de tal maneira em minha casa que não aguento mais ficar lá”. Quem tem de sair é o inimigo e não você porque a luz prevalece sobre as trevas.
Precisamos ser influência positiva no ambiente em que vivemos. A nossa presença tem de influenciar o mundo espiritual ao nosso redor. A luz que há em nós tem de brilhar. Em nome de Jesus.


 (Extraído do livro 14 dias de intimidade com Deus, Pr Magid Saab,  publicado no site da Igreja Batista Central de Belo Horizonte).


domingo, 17 de setembro de 2017

Dia 5 – Quem é você?




Que ocupação é a tua? Donde vens? Qual a tua terra? E de que povo és tu? 1.8

O caos havia se instalado no navio em que Jonas estava, após o SENHOR haver soprado um forte vento sobre o mar. Sobreveio sobre o navio uma violenta tempestade que ameaçava afundar o barco.
Os marinheiros ficaram com medo e cada um clamava ao seu próprio deus. Também atiraram as cargas ao mar para tornar o navio mais leve. Enquanto essas coisas aconteciam, Jonas dormia profundamente no porão. O capitão perguntou-lhe como conseguia dormir em uma situação como aquela e por que não clamava ao seu Deus. Quando descobriram que Jonas era o responsável por aquela tempestade começaram a perguntar quem ele era, a que povo pertencia e qual era a sua ocupação.
Jonas não pôde ficar escondido naquele navio. Naquele momento ele teve de revelar a sua identidade. O mesmo acontece com você. Por mais que tente se esconder constantemente, é chamado a declarar quem você é. Jonas finalmente confessou: sou hebreu, temo ao Senhor, o Deus Criador de todas as coisas. A pergunta é: quem é você? Qual a sua identidade? Qual a sua ocupação?
Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz. 1 Pe 2.9
Você é um escolhido de Deus. Ele contemplou a sua vida e com amor eterno o amou. Você é um sacerdote. O sacerdote é aquele que apresenta os homens ao Senhor; é aquele que se coloca na brecha em favor dos homens, que O adora e tem o privilégio de estar continuamente na presença dEle. Você é santo, por Deus declarado santo, separado para Ele. Você é propriedade exclusiva de Deus. Que privilégio. Tudo que você é em Cristo tem o propósito de anunciar as virtudes dAquele que nos chamou das trevas para Sua maravilhosa luz.
Essa é a realidade de sua vida? Muitos têm perdido sua identidade espiritual, andado de uma maneira que não é digna da vocação para a qual foram chamados. Muitos têm se tornado como mendigos espirituais, alguns desprezando aquilo que receberam de Jesus; outros, cegos por Satanás, não se apropriam daquilo que o Mestre conquistou para nós na cruz do Calvário.
O diabo quer mudar a nossa identidade. Quer destruir o que somos e o que temos em Cristo. Quando o povo judeu foi levado cativo para a Babilônia, quatro jovens tiveram seus nomes mudados.
Entre eles se achavam, dos filhos de Judá, Daniel, Hananias, Misael e Azarias. O chefe dos eunucos lhes pôs outros nomes, a saber: a Daniel, o de Beltessazar; a Hananias, o de Sadraque; a Misael, o de Mesaque; e a Azarias, o de Abede-Nego. Dn 1.6-7
Nome, na Bíblia, tem relação com nossa identidade e destino. Deus mudou o nome de Abrão, pai exaltado, para Abraão, pai de uma multidão, para indicar aquilo que ele seria abençoador de nações. O inimigo quer imitar o Senhor, como ele sempre faz, mas com o propósito de destruir a nossa identidade. Daniel significa Deus é meu juiz; quiseram mudar o seu nome para Beltessazar cujo significado é servo de Bel, um dos três membros da trindade satânica da Babilônia. Você aceitaria isso? O diabo quer fazer das pessoas seus servos.
Deus tem uma identidade e um propósito para sua vida. Nunca deixe que o inimigo roube isso. 


 (Extraído do livro 14 dias de intimidade com Deus, Pr Magid Saab,  publicado no site da Igreja Batista Central de Belo Horizonte).

sábado, 16 de setembro de 2017

4° dia – Fugindo de Deus



Mas para fugir da presença do Senhor, (…) 1.3
Não parece estranho que um profeta, um homem usado por Deus, fuja da presença dele?  Por que Jonas tomou essa atitude? Essa também não tem sido a nossa realidade?
Não estamos fugindo do Senhor e de sua vontade? Não temos a sensação de que a confusão em que a nossa vida se encontra está relacionada à nossa atitude de fuga?
Você sabia que os primeiros seres criados por Deus também agiram da mesma maneira que Jonas? Adão e Eva, logo após terem pecado e percebido que estavam nus, esconderam-se da presença do Senhor, Gn 3.8. É incrível, tanto Jonas quanto nossos primeiros pais e todos nós, sabemos que podemos fugir ou mesmo nos esconder de Deus, mas é impossível fugir da presença dele. No salmo 139, dentre outras coisas, Davi ressalta a onipresença do Pai: Para onde me ausentarei do teu Espírito?Para onde fugirei de tua face? Se subo aos céus lá estás; se faço a minha cama no mais profundo abismo, lá estás também …”. NÃO PODEMOS FUGIR DA PRESENÇA DE DEUS. Ele nos conhece totalmente; sabe de nossas aflições e conhece todos os nossos caminhos.
O que nos faz tentar fugir de Deus? Não há, muitas vezes, em nosso coração, certa desconfiança em relação ao Senhor? Por que fugimos?
Fugimos porque temos medo da condenação. Esta foi, certamente, a causa da fuga de Adão no Jardim do Éden. Quando percebeu que havia pecado e sua nudez foi exposta, foi se esconder, juntamente com sua mulher por entre as árvores do jardim. A culpa não deveria nos afastar de Deus; pelo contrário, deveria nos aproximar dele, pois é nele que encontramos pleno perdão e graça abundante. Devemos confiar no que o Senhor nos revela: que se confessarmos os nossos pecados ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e purificar de toda injustiça, 1 Jo 1.9. Glória a Deus! Não precisamos caminhar com medo da condenação.
Fugimos também porque temos medo da rejeição. Quando somos afligidos por uma situação difícil e entramos em tribulação, a nossa tendência é achar que o Senhor não se importa conosco. Se a situação se prolonga, surge um sentimento de frustração, desesperança e somos levados a pensar que Deus nos abandonou.
Outro motivo pelo qual fugimos é o medo da revelação. Temos medo da vontade de Deus; muitas vezes não a aceitamos. Esta, provavelmente, foi a razão da fuga de Jonas. Deus o estava enviando a pregar para o inimigo, um inimigo muito opressor que, inúmeras vezes, havia matado e escravizado seus irmãos. Jonas conhecia ao Senhor e tinha receio de que em vez de exercer juízo ele exercesse misericórdia. A Bíblia atesta que a vontade divina é boa, perfeita e agradável. O desejo dele é nos abençoar. Não devemos recear que Deus tire algo de nós. Se isso acontecer, devemos entender que é para o nosso bem. O Senhor é galardoador de todos os que o buscam.
Receba esta palavra. Não fuja de Deus!

 (Extraído do livro 14 dias de intimidade com Deus, Pr Magid Saab,  publicado no site da Igreja Batista Central de Belo Horizonte).



sexta-feira, 15 de setembro de 2017

3° dia – O Juízo de Deus



Clama contra ela, porque a sua malícia subiu até mim. 1.2
Existe uma crença generalizada de que um Deus bom e misericordioso, pronto para perdoar, não vai permitir que pessoas sejam mandadas para o inferno. Afinal de contas, todas têm algo de bom e merecem ir para o céu. Entretanto, essa crença é totalmente estranha às Sagradas Escrituras. A igreja tem se omitido cada vez mais em falar da condenação eterna.
É a mais pura verdade que benigno e misericordioso é o SENHOR, tardio em irar-se e de grande clemência, Sl 145.8; Ele é longânimo para conosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento, 2 Pe 3.9. Mas Deus é o justo juiz de toda a terra e fica indignado todos os dias, Sl 7.11.
Todos sabemos João 3.16 de cor; é o versículo mais conhecido da Bíblia. Contudo, não continuamos a leitura. Nos versículo 18 e 19, Jesus declara que quem nEle crê não é julgado e quem não crê já está julgado. E o julgamento é este: que a Luz veio ao mundo e os homens amaram mais as trevas do que a Luz porque suas obras eram más. Veja que Jesus diz: aquele que não crê nEle já está julgado. Mais à frente, no versículo 36, Jesus novamente declara: quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, todavia, se mantém rebelde contra o Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus. Fora de Jesus não há salvação; a ira divina permanece sobre aqueles que não têm o Senhor.
A Bíblia fala do julgamento do trono branco que acontecerá no final dos tempos, Ap 20.11-15. Nesse julgamento, aqueles cujos nomes não estão escritos no livro da vida serão condenados, segundo as suas obras, e lançados ao lago de fogo, juntamente com a morte e o inferno.
Os olhos do Senhor estão sobre toda terra. Está atento a tudo o que acontece. Ele disse a Noé: Resolvi dar cabo de toda a carne, porque a terra está cheia de violência dos homens (…) Gn 6.13. Então, veio o dilúvio. Também disse a Abraão (…) o clamor de Sodoma e Gomorra tem-se multiplicado e o seu pecado tem se agravado muito, Gn 18.20; e assim veio a destruição daquelas cidades malignas. A mesma coisa aconteceu com a cidade de Nínive: (…) a sua malícia subiu até mim. O juízo era iminente; contudo, o destino dela foi diferente porque Jonas levou-lhes a Palavra de Deus e o povo se arrependeu.
Querido, a coisa é seríssima. Fora de Jesus não há salvação. A hora é agora. Tem de haver um senso de urgência. Deus deseja que todos sejam salvos!!!


(Extraído do livro 14 dias de intimidade com Deus, Pr Magid Saab,  publicado no site da Igreja Batista Central de Belo Horizonte).

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

2° dia – Deus tem um plano



Dispõe-te, vai à grande cidade de Nínive (…) 1.2
Imagine se você fosse um cientista que por causa do seu trabalho recebesse o prêmio Nobel. Você se sentiria honrado? Imagine se fosse um diretor de cinema que por causa de seu trabalho recebesse um Oscar. Você se sentiria honrado? Qual é sua visão sobre a honra dada pelos homens?
Todos nós desejamos fazer algo de importante que seja reconhecido pelas pessoas. É intrínseco da natureza humana. Você gostaria de fazer algo de valor que tivesse impacto por toda a eternidade? Se sua resposta for afirmativa, há uma ótima notícia para você. O nosso Deus, criador dos céus e da terra, Aquele que é Santo, que está acima de tudo e de todos e tem a terra por estrado de seus pés, convida você para realizar algo maravilhoso. Você se sentiria honrado?
Na carta aos efésios, Paulo descreve a maravilhosa salvação operada por Cristo Jesus em nossa vida e menciona que somos salvos pela graça, por meio da fé, para realizarmos as boas obras que o Senhor já havia preparado para nós. Isso não enche o seu coração de expectativas? Deus as preparou de antemão! Antes de você ser salvo, Ele já havia preparado uma boa obra para você praticar. Deus tem um plano para a sua vida!!!
Somos cooperadores de Deus, 1 Co 3.9. Que privilégio! O Senhor nos chama a cooperar com Ele para que Sua vontade seja feita e Seu reino seja estabelecido na terra. Após mencionar que somos cooperadores de Deus, Paulo afirma que todos nós podemos construir sobre o fundamento já posto, que é o Senhor Jesus. Se a nossa obra após ser provada pelo fogo permanecer, receberemos galardão,1Co 3.12-14. Deus tem uma recompensa para você mais valorosa e honrosa que qualquer prêmio Nobel.
Deus tinha um plano para a vida de Jonas. Era algo importantíssimo a ser feito porque envolvia o destino eterno de muitas vidas em Nínive. O desejo dele é que todos sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade.  Qual verdade?  A verdade de que há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens!! 1 Tm 2.4,5. A Palavra de Deus para Jonas foi “dispõe-te e vai”. A Palavra de Deus para você é “dispõe-te e vai”.


(Extraído do livro 14 dias de intimidade com Deus, Pr Magid Saab,  publicado no site da Igreja Batista Central de Belo Horizonte).

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

1° dia – Deus Fala Conosco



Veio a palavra do Senhor a Jonas, filho de Amitai, 1.1
Deus sempre tem uma palavra para você. Nunca duvide disso. Ele o exorta, consola e edifica por meio da Sua Palavra. Deus tinha uma missão para Jonas. Falou com ele diretamente. Foi claro e objetivo. Deus não é Deus de confusão.
Nunca despreze a Palavra de Deus. Não despreze a leitura da Bíblia.
·         A PALAVRA É FORTE PROTEÇÃO CONTRA O PECADO – Davi afirmou que guardou a Palavra no seu coração para não pecar contra Deus, Sl 119.11;
·         A PALAVRA É RESISTENTE COBERTURA CONTRA AS MOTIVAÇÕES ERRADAS – o texto de Hebreus menciona que a Palavra de Deus é viva e eficaz, apta para discernir os propósitos do coração, Hb 4.12;
·         A PALAVRA É PODEROSA ARMA DE ATAQUE – Paulo, quando revelou a armadura de Deus, declarou que a Palavra de Deus é a espada do Espírito, Ef 6.17;
·         A PALAVRA DE DEUS É O INABALÁVEL ALICERCE DE SUA VIDA – Jesus disse que aqueles que ouvem as suas palavras e as praticam é semelhante ao homem que edificou a sua casa sobre a Rocha, Mt 7.24.
Se a Palavra de Deus é tão fundamental por que não se dá a ela o devido valor? Infelizmente, a geração atual de crentes é muito rasa e superficial no conhecimento da Palavra. E quando essa é a realidade, as consequências são devastadoras, conforme as advertências bíblicas revelam. Jesus afirmou: Errais, não conhecendo as Escrituras e nem o poder de Deus, Mt 22.29; semelhantemente, Oseias profetizou: O meu povo está sendo destruído porque lhe falta o conhecimento, Os 4.6. Você não pode menosprezar a Palavra de Deus.
Perceba, lendo Mt 4.1-11, como foi a tentação de Jesus. Dê o devido valor a esta experiência vivida por Ele. Muitos pensam que aquilo foi apenas um teatro; afinal de contas, Jesus era Jesus, jamais poderia cair em tentação. Não é verdade. Ele poderia ter caído e todo o plano de redenção do homem teria fracassado. O que lhe proporcionou a vitória sobre a tentação promovida por Satanás? A Sua obediência e firme propósito de seguir a Palavra. Nas três vezes em que foi tentado, ele rechaçou a oferta maligna declarando a Sagrada Escritura. Essa mesma Palavra está arraigada em seu coração, Cl 3.16.
É incrível saber, pelas pesquisas realizadas nos Estados Unidos entre cristãos professos, que a grande maioria deles não consulta a Deus no momento de tomar decisões. Diferentemente, Davi não saía para as batalhas sem antes consultar o Senhor. Será que você pode afirmar como o salmista quando diz que a lei, o testemunho, os preceitos e os mandamentos do Senhor são mais desejáveis que o ouro depurado, são mais doces que o mel e o destilar dos favos? Por meio dos mandamentos se admoesta os servos de Deus e em guardá-los há grande recompensa, Sl 19.7-11.
Aproveite os dias de jejum e oração para receber a Palavra de Deus, seja ela qual for. Deixe que Ele fale ao seu coração. Prepare-se para um tempo de quebrantamento, muita restauração e avivamento em sua vida.


(Extraído do livro 14 dias de intimidade com Deus, Pr Magid Saab,  publicado no site da Igreja Batista Central de Belo Horizonte).



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...